domingo, 8 de maio de 2011

Recife - Praça Maciel Pinheiro



Luiz Ferreira Maciel Pinheiro (1839 - 1899), nasceu na Paraíba mas veio para o Recife estudar, ingressando na Faculdade de Direito em 1860, onde conviveu com Castro Alves, Fagundes Varela e Tobias Barreto, entre outros nomes da nossa história.
Alistou-se como voluntário para ir lutar na guerra do Paraguai, contraiu malária no campo de batalha e retornou a Pernambuco. De volta a Recife, finalizou o curso de Direito. Atuou como juiz de Direito e também como jornalista, defendendo ideias abolicionistas de liberdade e igualdade e direitos humanos. Faleceu em 09 de novembro de 1989, seis dias antes da Proclamação da República, que ele tanta sonhava vivenciar.

A praça que atualmente leva o seu nome foi inaugurada em 1876, no bairro da Boa Vista, em comemoração à vitória das tropas brasileiras na guerra do Paraguai (1864-1870). Apesar de pequena, a praça tem como destaque uma bela fonte de pedra contendo leões, máscaras, ninfas e uma índia.
A praça Maciel Pinheiro já foi reduto da colônia judaica do Estado de Pernambuco, que para aqui veio fugindo do anti-semitismo e das perseguições contra os judeus, na época da II Guerra Mundial. Além do português o que mais se ouvia ali era o iídiche, língua falada pelos judeus askenazim, provenientes da Europa Oriental.

A ressaltar: Ali, num edifício que se localiza na esquina da Travessa do Veras com a Praça Maciel Pinheiro, viveu Clarice Lispector (1925-1977), uma das mais importantes escritoras do século XX, nascida na Ucrânia, mas que aqui chegou com seus pais, aos dois meses de idade.

Fonte: FUNDAJ